Vejam um ciclista, ele gosta de ajudar as pessoas e de preservar a natureza

Olá Visitante
 


 
Depoimentos



Autor: Carlos Onofre
Data: 24Out2008
Fonte: E-mail

Título: Depoimento-Carlos Tudo começou há alguns meses atrás, quando um grupo de amigos me perguntou se eu ia fazer a excursão do Iron de 2008, então a partir de então comecei a pensar no assunto.

Sendo o Iron biker a maior competição de Moutain Bike do Brasil. Pensei por vários dias em fazer ou não, e o interesse dos amigos e de vários grupos em fazer e em conhecer esta prova me propiciou encarar esta nova missão.

Lancei a Excursão no site do Rebas, do Pedal Noturno, do Piki da trilha, da Cidade Livre, dos Camelos e até do site do Iron, e outros. Tive a ajuda do Bittencourt que melhorou a divulgação no site do Rebas, e a ajuda do Grande Romeu, o Gigante, que também divulgou e me ajudou muito.

A partir deste lançamento começaram as ligações e cada um marcava seu lugar na excursão, e cada dia que passava aumentava cada vez mais as inscrições e sentia cada vez mais o peso da responsabilidade.

Procurei várias empresas de ônibus e a única que fazia o serviço completo foi a Jovem Turismo. Na escolha do mecânico, não tive dúvida, procurei o THIAGO DA UNIBIKE, que aceitou de primeira com o aval do WAGNER.

Fui por duas vezes nas Cidades de Mariana e Ouro Preto, e fiz contato com várias pessoas das duas cidades e os assuntos que tentei resolver foram quase todos resolvidos.

Fechei a Excursão com o ônibus semi-leito, e pensando que estava tudo resolvido, os amigos continuaram me ligar querendo ir para o Iron. Foi então que resolvi abrir o outro ônibus, e a solução foi o Leito que foi bem aceito. Nota dez na nossa festa lá no Talher Brasil, que todos aproveitaram para se conhecerem melhor e resolveram todas as dúvidas.

Chegou o dia do EMBARQUE, foi um sucesso, eu, o Thiago, os motoristas dois ônibus e alguns amigos, todos juntos, colocamos as BIKES num saco de algodão, uns até falaram que era uma camisinha, e acomodamos todas elas nos dois ônibus.

Depois de quase pronto para a viagem, tive que ir correndo na minha buscar minhas coisas, mas cheguei a tempo e partimos às 19:00 horas. As paradas durante a viagem com os dois ônibus foram tranqüilas.

Na chegada no Hotel das Gerais tivemos a recepção da Débora, que pessoa maravilhosa. Os dois hotéis nos receberam com um café da manhã bem variado e que já estavam pronto. Depois só foi acomodar um por um.

Depois de pronto, cada um pegou seu kit de corrida. Então resolvemos partir para a linda cidade de Ouro Preto, cidade histórica, onde almoçamos com toda a galera de Brasília, em que a Cidinha, dona do Restaurante, nos recebeu com maior carinho. E para falar a verdade, que GRANDE ALMOÇO, QUE MACORRANADA.

E a festa continuou com aqueles que foram de Maria Fumaça para Mariana e outro que de ônibus. No meu caso e do Thiago, tivemos que voltar e acertar se as biker já estavam em perfeito estado. No jantar, repetimos a MACORRONADA e depois só descanso.

SÁBADO – GRANDE DIA: Fomos todos pedalando para a grande largada, montamos a nossa barraca e esperamos a saída. Uma coisa achei muito estranha, foi a ausência do PADRE, que neste ano, não apareceu antes da largada e nem em Ouro Preto, MUITO ESTRANHO!!!! !.

Antes da largada, observei aquela multidão de bikers, principalmente os nossos atletas de Brasília, pela energia que todos demonstravam e a alegria estampada nos rostos de todos. Creio que muitos já sentiram isto antes, mas os novatos aquilo era uma experiência nova.

Dada a largada. E a competição começa, onde mais de novecentos bikers se enfrentarão nas grandes e maravilhosas subidas e decidas, entre percurso completo e reduzidos, dependendo da categoria escolhida, com muita emoção e desafio. O roteiro é de tirar o fôlego.

Por onde eu passava, encontrava um biker de Brasília, encontrei, também, de São Paulo, Rio de Janeiro e de Belo Horizonte. Fizemos um Ponto de Apoio improvisado no Morro do Barão: Eu, Bauru, Gabriel, Renato, e muito outros. Conversei um pouco com o Abelha, que estava muito feliz.

Na chegada, em Mariana, a emoção foi muito grande e fui direto para a nossa barraca para aguardar a chegada dos outros. Alguns demonstravam alegria e outros muitos cansados e reclamavam muito, dizendo que o Ponto de Apoio era só para os da Elite.

No hotel, chegou a vez daqueles que se deram bem a massagem. Todos aqueles que chegaram, passaram sua bikes para o Thiago, onde ficou lavando, lubrificando e regulando todas as bikes até as 03:00 horas da manhã de domingo.

Às 05:00 horas, pelo horário de verão, quase todos já estavam acordados.

Às 06:00 horas, todos já estavam pronto, assim fomos colocar as bikes nos ônibus. Todas as bikes colocadas, partimos para Ouro Preto, e observei com muita atenção, a alegria de todos, e observei também que ninguém falava da prova de sábado, parecia que todos estavam bem.

Chegando a Ouro Preto, só foi festa, muitas fotos, só alegria, principalmente

na hora da GRANDE FOTO COM TODOS DE BRASILIA, pena que alguns não estavam nesta hora, mas valeu muito.

Largamos, corremos, subimos e descemos. Encontrei com vários colegas durante a prova, meu pneu esvaziou por duas vezes, corrente caiu por duas vezes e cair, também por duas vezes, uma na água e outra numa descida, onde me machuquei na perna.

Cheguei a tempo, ganhei medalha, e fiquei no geral, em 27° lugar. Valeu muito, depois de tudo.

Depois, só foi festa, pena que depois da chegada de alguns colegas, a organização resolveu não entregar a medalha de participação para estes, alegando que eles não completaram a prova.

Tentei e briguei pelas medalhas, mas eles foram irredutíveis, principalmente o Organizador do evento.

A festa continuou para todos, principalmente para os REBAS, que conseguiu montar maior grupo da história do Iron Biker.

Alguns da EXCURSÃO que conseguiram pódio ficaram muito frustrados com as premiações, alegaram que as elas poderiam ser melhores, pois só foi uma simples garrafinha.

Depois de tudo partimos para Mariana, direto para o hotel, onde acertamos tudo e partimos direto para Brasília com a MISSÃO CUMPRIDA. A viagem de volta foi tranqüila e chegamos bem e bikes também.

Quero agradecer de coração A TODOS QUE FORAM À EXCURSÃO, e não vou citar nomes, porque posso esquecer-me de alguém, mas a EXCURSÃO só deu certo porque TODOS COLABORARAM MUITO BEM.

Atenciosamente.
Carlos

Marca registrada Rebas do Cerrado - Nota de rodapé do site
Webdesigner: Débora Alves

A primeira versão deste site foi construída por Eliézer Roberto Pereira , Bob King, um dos fundadores do Rebas do Cerrado que infelizmente nos deixou em dezembro de 2004.

Posteriormente o nosso amigo Marcelino Brandão Filho, também fundador e coordenador do grupo por 6 anos, desenvolveu com dedicação ímpar uma nova versão. Marcelino faleceu em julho de 2013 e além do site deixou entre outros legados importantes a padronização dos procedimentos de operacionalização e condução dos eventos Rebas.

Mantemos a página principal o mais próximo possível do desenho original em homenagem aos dois fundadores.

As marcas Rebas® e Rebas do Cerrado®, bem como o logotipo® do grupo Rebas do Cerrado são Marcas Registradas® pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial(INPI), com todos os Direitos Reservados.